A Grings está focada em expandir rapidamente sua participação no mercado e planeja dobrar de tamanho até o final do próximo ano.

A estratégia de crescimento está estruturada principalmente na ampliação do canal de distribuição, investimentos e capacitação de equipes e aumento de portfólio. Na capital paulista, a meta é sair de sete para 50 distribuidores, fortalecendo a presença nos principais canais de atuação que são as lojas de produtos naturais e o varejo. A empresa também planeja entrar no canal Farma. “A ideia é aumentar nossa participação na região metropolitana de São Paulo, passando de 10 para 50% de representatividade do nosso faturamento e, claro, vamos seguir ganhando mercado nas demais localidades como Minas Gerais e Rio de Janeiro”, revela Cristiano Grings, sócio-diretor da Grings.

No acumulado de janeiro a julho de 2017 versus mesmo período de 2016, a companhia registrou crescimento de 50%. Só no mês julho, a empresa contabilizou incremento de 25% em suas vendas frente a igual período do ano passado. Para isso, dobrou investimentos no negócio, saindo de R$ 1,2 milhão em 2016 para R$ 2,6 mi até metade de 2017.

Ainda para este ano, a empresa promete novidades, seguindo o conceito de inovação constante aliada à praticidade e sabor. Até dezembro serão 30 novos itens em relação a 2016. “O consumidor de Grings sabe que não compra só um produto, mas leva para casa qualidade, tradição e reconhece na marca a missão de oferecer às pessoas produtos verdadeiramente capazes de contribuir para um estilo de vida saudável. “A estes consumidores, eu digo, esperem, pois teremos novidades por aí”, revela Grings.

Ampliação da Fábrica

Para suportar o crescimento projetado para 2017 e para os próximos anos, a Grings irá expandir seu espaço de armazenagem de produto. A área útil será dobrada com investimentos direcionados à ampliação da capacidade de estoque/armazenagem que passará de 600 para 2.400 paletes; o projeto inteiro deve ser finalizado até o final do próximo ano.  Serão mais de R$ 5 milhões em investimentos que trarão boas margens de redução de custos no processo produtivo, pois permitirá a produção de lotes maiores, reduzindo em 25% despesas com mão de obra, perdas de embalagem, hora/máquina; recursos que sempre precisam ser alocados a cada novo lote produzido.

 

Fonte: Distribuição